Show simple item record

dc.contributor.advisorFuentefria, Alexandre Meneghellopt_BR
dc.contributor.authorPippi, Brunapt_BR
dc.date.accessioned2017-02-23T02:26:00Zpt_BR
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/153005pt_BR
dc.description.abstractAs taxas de mortalidade causadas por Candida não-albicans (CNA) aumentaram nas últimas décadas e a resistência aos fármacos é um desafio para tratamento dessas infecções, representando um problema de saúde pública. O uso indiscriminado de antifúngicos, principalmente fluconazol (FLZ) resulta no surgimento de cepas resistentes aos medicamentos entre populações anteriormente suscetíveis. Dessa forma mostra-se importante a realização de testes de aquisição de resistência in vitro na prospecção de um novo medicamento. Própolis é uma mistura resinosa complexa feita pelas abelhas e sua atividade antifúngica já foi intensamente investigada, entretanto, sua capacidade de indução de resistência em fungos ainda não havia sido avaliada. O objetivo principal desse estudo foi averiguar a capacidade de C. parapsilosis e C. glabrata desenvolverem resistência fenotípica à fração enriquecida em benzofenonas da própolis vermelha brasileira e comparar ao FLZ, bem como investigar possível sinergismo quando esta fração é associada com FLZ e anidulafungina (AND). Para analisar o desenvolvimento de resistência, isolados suscetíveis foram cultivados em concentrações crescentes de FLZ e a fração de própolis. O aumento da concentração inibitória mínima (CIM) do FLZ foi evidenciado para todos isolados e a maioria desenvolveu resistência, enquanto que nenhum isolado tornou-se menos suscetível à própolis após a exposição O sinergismo foi investigado pelo método checkerboard. Própolis e FLZ demonstraram sinergia para a maioria dos isolados com resistência induzida ao FLZ, e própolis e AND apresentaram aditividade ou indiferença para a maioria dos isolados. Em conclusão, a própolis demonstrou ser um produto não indutor de resistência, uma vez que não provocou o desenvolvimento de resistência in vitro, ao contrário do FLZ. Além disso, própolis mostrou importante efeito sinérgico com FLZ, apontando uma possível estratégia terapêutica para o tratamento de infecções relacionadas a Candida spp. resistentes ao FLZ.pt_BR
dc.description.abstractMortality rates caused by non-albicans Candida (CNA) have increased in recent decades and drug resistance is a challenge to treat these infections, representing a public health problem. The indiscriminate use of antifungals, especially fluconazole (FLZ), results in the emergence of drug-resistant strains among previously susceptible populations. Thus it is important to develop tests of acquisition of resistance in vitro in prospecting of a new drug. Propolis is a complex resinous mixture made by bees and its antifungal activity has been intensively investigated, however, its ability to induce resistance in fungi has not yet been evaluated. The main aim of this study was to evaluate the ability of C. parapsilosis and C. glabrata develop phenotypic resistance to benzophenones enriched fraction of the Brazilian red propolis and compare to the FLZ, as well as investigate possible synergy when this fraction is associated with FLZ and anidulafungin (AND). To analyze the development of resistance, isolates susceptible to these antifungals were cultured in increasing concentrations of FLZ and propolis. The increase in FLZ Minimum inhibitory concentration (MIC) for all isolates was evident and the majority has developed resistance, whereas none isolated has become less susceptible to propolis after exposure. Synergism was investigated by checkerboard method. Propolis and FLZ demonstrated synergy for most isolates with induced resistance to the FLZ, and propolis and AND showed additivity or indifference to the majority of the isolates. In conclusion, propolis has demonstrated to be a product does not inductor resistance, since it has not caused the development of resistance in vitro, unlike the FLZ. In addition, propolis showed an important synergistic effect with FLZ, indicating a possible therapeutic strategy for the treatment of infections related to FLZ-resistant Candida spp.en
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectCandidapt_BR
dc.subjectResistência a medicamentospt_BR
dc.subjectFarmacorresistência fúngicapt_BR
dc.subjectAntifúngicospt_BR
dc.subjectPropolispt_BR
dc.subjectFluconazolpt_BR
dc.titleAvaliação da capacidade de Candida parapsilosis e Candida glabrata desenvolverem resistência fenotípica à própolis vermelha brasileira e ao fluconazol e avaliação de sua atividade antifúngica em associação com fluconazol e anidulafungicapt_BR
dc.title.alternativeEvaluation Of The Ability Of Candida Parapsilosis And Candida Glabrata Develop Phenotypic Resistance To Brazilian Red Propolis And To Fluconazole And Evaluation Of Its Antifungal Activity In Association With Fluconazole And Anidulafungin en
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor-coPoser, Gilsane Lino vonpt_BR
dc.identifier.nrb000941297pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentInstituto de Ciências Básicas da Saúdept_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Microbiologia Agrícola e do Ambientept_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2014pt_BR
dc.degree.levelmestradopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record