Show simple item record

dc.contributor.advisorAnjos, José Carlos Gomes dospt_BR
dc.contributor.authorMandlate, Nosta da Graçapt_BR
dc.date.accessioned2023-03-11T03:31:08Zpt_BR
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/255663pt_BR
dc.description.abstractPara compreendermos como as pessoas que lidam com as práticas tradicionais de cuidado, especialmente tinyanga, associados à Ametramo, agem frente ao disciplinamento do conhecimento tsonga a partir de normativas “científicas” ocidentais, adotamos nesta tese uma metodologia qualitativa com carácter etnográfico. Embora a Ametramo tenha sido criada por meio de um movimento estatal, orientado pelo Ministério da Saúde, que tinha o intuito de estender o braço estatal para o interior das comunidades e melhor controlar as atividades das pessoas que lidam com práticas tradicionais de cuidado, a Ametramo ainda possui autonomia frente às ações estatais. A relação entre as pessoas que lidam com as práticas tradicionais de cuidado e o Ministério da Saúde, representado pelo Instituto da Medicina Tradicional (IMT), busca, por um lado, realizar estudos que visam conferir cientificidade aos saberes tsonga e, por outro, inserir práticas ocidentais no cotidiano de cuidado tradicional tsonga. O IMT, na relação que estabelece com as pessoas que lidam com as práticas tradicionais de cuidado, não se esforça em compreender o conhecimento tsonga no contexto em que esse conhecimento se encontra inserido. Os estudos que realiza buscam o aniquilamento do conhecimento tsonga. A partir da pesquisa que realizamos, observamos que a disposição do conhecimento tsonga em conviver com outros conhecimentos se configura em um dispositivo importante para a sua própria continuidade.pt_BR
dc.description.abstractTo understand how traditional care entities, especially Tinyanga, associated with Ametramo, act in the face of the discipline of Tsonga knowledge from Western "scientific" norms, in the research we adopted a qualitative methodology with ethnographic character. Although Ametramo was created from a state movement, guided by the Ministry of Health, which had the intention of extending the state arm to the interior of communities and better control of the activities of traditional care institutions, Ametramo still has autonomy in the face of state actions. The relationship between traditional entities of care with the Ministry of Health (carried out from the Institute of Traditional Medicine-IMT), seeks on the one hand to carry out studies that aim to confer scientificity to tsonga knowledge and on the other hand seeks to insert Western practices in the daily routine of traditional Tsonga care. The IMT in the relationship it establishes with traditional care entities does not strive to understand Tsonga knowledge within the context in which it is inserted. The studies he carries out seek the annihilation of Tsonga knowledge. From the research we conducted, we observed that the willingness of Tsonga knowledge to live with other knowledge is an important device for the continuity of this knowledge.en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectCuidados de saúdept_BR
dc.subjectTraditional careen
dc.subjectSpiritual entityen
dc.subjectSociabilidadept_BR
dc.subjectTraditional medicineen
dc.subjectEspíritopt_BR
dc.subjectSocialityen
dc.subjectMedicina tradicionalpt_BR
dc.subjectTsonga(Povo africano)pt_BR
dc.subjectTsongaen
dc.title“Ntumbuluko é um conhecimento criado por Deus, como os outros conhecimentos”: redes tradicionais de cuidado Tsonga em Moçambique e sua relação com o estadopt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.identifier.nrb001164010pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentInstituto de Filosofia e Ciências Humanaspt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Sociologiapt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2022pt_BR
dc.degree.leveldoutoradopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record