Show simple item record

dc.contributor.advisorRossi, Daniele Misturinipt_BR
dc.contributor.authorOliveira, Caio Cardosopt_BR
dc.date.accessioned2021-02-04T04:13:13Zpt_BR
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/217739pt_BR
dc.description.abstractEste trabalho surge em um contexto de preocupação quanto à sustentabilidade de processos industriais. A busca por vias mais ecológicas e por mais integração entre os processos se mostra importante em um mundo alarmado com prováveis consequências ambientais à industrialização desenfreada. Neste estudo, foi avaliada a viabilidade de se produzir cogumelos comestíveis utilizando resíduos agroindustriais como substrato em cultivo em estado sólido. Cogumelos comestíveis são alimentos proteicos cuja produção apresenta eficiência energética superior à carne, principalmente por poder utilizar resíduos agroindustriais locais como matéria prima. A casca de arroz é um resíduo agroindustrial particularmente abundante no Rio Grande do Sul, enquanto o bagaço de malte e a serragem são gerados em muitas regiões do Brasil e do mundo. Os três resíduos são abundantes em fibras e possuem diferentes teores de proteínas. Estes resíduos muitas vezes são dispensados de forma inadequada geralmente pelo baixo potencial econômico associado e pelos altos custos de transporte. Neste sentido, estudou-se o desenvolvimento do fungo Pleurotus ostreatus (popularmente conhecido como Shimeji) em diferentes formulações de substrato contendo casca de arroz e serragem (como base lignocelulósica) e bagaço de malte (BDM, como suplementação proteica). No presente trabalho, foram avaliados os parâmetros físico-químicos de umidade, pH e densidade aparente, além de estimar a relação C/N das diferentes formulações de substrato testadas. A produtividade do fungo foi analisada a partir da eficiência biológica. Foi verificado que a produtividade é crescente para formulações contendo 10, 25 e 40 % de BDM, mas quase nula para formulações com 55 % e zero para formulações contendo 70 % de BDM. Tal fenômeno pode ser explicado pelos baixos valores de pH e relação C/N e por problemas de aeração do substrato, já que estas formulações apresentaram substratos mais compactos e úmidos. As formulações contendo 25 e 40 % de BDM apresentaram eficiências próximas ao valor entendido como mínimo para a produção comercial de Pleurotus ostreatus, apesar dos parâmetros de umidade, pH e densidade aparente estarem fora da faixa ideal, de acordo com a literatura. É razoável supor, portanto, que, ao melhorar técnicas de ajuste de pH e ao investigar o efeito da umidade e densidade aparente sobre a aeração do substrato, se obtenham eficiências superiores, tornando a produção atrativa economicamente.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectCogumelo comestívelpt_BR
dc.subjectResíduos agroindustriaispt_BR
dc.titleProdução de cogumelos comestíveis utilizando resíduos agroindustriaispt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001091745pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentEscola de Engenhariapt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2018pt_BR
dc.degree.graduationEngenharia Químicapt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record