Show simple item record

dc.contributor.advisorGruszynski, Ana Claudiapt_BR
dc.contributor.authorBrandão, Carolina Gandonpt_BR
dc.date.accessioned2020-07-29T03:41:26Zpt_BR
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/212472pt_BR
dc.description.abstractEsta pesquisa identifica os elementos identitários visibilizados pelo jornal O Globo em campanhas institucionais promovidas ao longo de sua trajetória para compreender que conceitos a organização atribui a si e ao jornalismo para (re)afirmar a sua legitimidade, tendo em vista mudanças associadas ao contexto pós-industrial. O corpus é delimitado por oito campanhas promovidas pela organização no período de 1988 a 2018, e o referencial delineado aciona aportes teóricos sobre comunicação organizacional, jornalismo e o contexto em que as organizações de notícias se inserem, a partir de conceitos de autores como Baldissera (2004; 2006; 2008; 2009), Guerra (2005; 2008), Anderson, Bell e Shirky (2013). Como procedimentos metodológicos, são empregadas a pesquisa bibliográfica, a pesquisa documental e a análise de conteúdo, conforme as delimitações de Bardin (2010), em uma abordagem qualitativa. A análise dos materiais evidenciou que o veículo reorganiza estratégias de apresentação de si de acordo com o contexto, os valores sociais e a viabilidade do negócio. O Globo, enquanto organização, apresenta-se como autêntico, ético, responsável, aliado da audiência, atualizado, tecnológico, competente e de qualidade superior, características que subsidiam a construção dos atributos crível e confiável. Aciona também princípios e funções do jornalismo como instituição: de intermediador da formação das opiniões, por isso, essencial à sociedade democrática (1988-1990); de revelador de verdades que interesses individuais desejariam ocultar (1998); de escuta e apuração de denúncias que partem da sociedade e como o serviço que mantém o leitor atualizado e competitivo (1999); de cumpridor de uma função social que ajuda o sistema representativo, garante o direito à informação e define o que é visibilizado, mas também como a atividade que filtra e hierarquiza conteúdos para o leitor (2003-2004); de comprometimento social (2008); de portavoz da sociedade e atuante para a transformação social, em parceria com o leitor (2009); e, por fim, de checagem de fatos e discursos públicos, de um fazer especialista a serviço da sociedade no combate à desinformação (2017, 2018). Conclui-se que a comunicação organizacional constitui uma importante instância de produção de sentidos para direcionar proposições de atributos pelos quais a organização visa a ser reconhecida para ratificar a relevância da sua atuação.pt_BR
dc.description.abstractThis research identifies the identity elements made visible by the newspaper O Globo in institutional campaigns promoted along its trajectory to understand which concepts the organization attributes to itself and to journalism to (re)affirm its legitimacy, in view of changes associated with the post-industrial context. The corpus is delimited by eight campaigns promoted by the organization from 1988 to 2018, and the outlined framework triggers theoretical contributions on organizational communication, journalism and the context in which news organizations are inserted, based on concepts from authors such as Baldissera (2004; 2006; 2008; 2009), Guerra (2005; 2008), Anderson, Bell and Shirky (2013). As methodological procedures, bibliographic research, documentary research and content analysis are used, according to Bardin (2010), in a qualitative approach. The analysis of the materials showed that the vehicle reorganizes self-presentation strategies according to the context, social values and business viability. O Globo, as an organization, presents itself as authentic, ethical, responsible, ally of the audience, updated, technological, competent and of superior quality, characteristics that subsidize the construction of credible and reliable attributes. It also activates the principles and functions of journalism as an institution: as an intermediary in the formation of opinions, therefore essential to democratic society (1988- 1990); revealing truths that individual interests would want to hide (1998); listening and investigating complaints that come from society and as the service that keeps the reader updated and competitive (1999); of fulfilling a social function that helps the representative system, guarantees the right to information and defines what is made visible, but also as the activity that filters and hierarchizes content for the reader (2003-2004); social commitment (2008); as a spokesperson for society and active in social transformation, in partnership with the reader (2009); and, finally, to check facts and public speeches, to do specialist work at the service of society in combating disinformation (2017, 2018). The study concluded that organizational communication is an important instance of producing meanings to direct propositions of attributes by which the organization aims to be recognized to ratify the relevance of its performance.en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectPropaganda institucionalpt_BR
dc.subjectOrganizational communicationen
dc.subjectComunicação organizacionalpt_BR
dc.subjectInstitutional campaignen
dc.subjectO Globo (Jornal)pt_BR
dc.subjectJournalismen
dc.subjectIdentityen
dc.titleA identidade da organização jornalística em campanhas institucionais do jornal O Globo (1988-2018)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001115689pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Biblioteconomia e Comunicaçãopt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Comunicação e Informaçãopt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2020pt_BR
dc.degree.levelmestradopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record