Show simple item record

dc.contributor.advisorMonteiro, Sergio Marley Modestopt_BR
dc.contributor.authorKlein, Maurício Heinrichpt_BR
dc.date.accessioned2019-10-05T03:55:36Zpt_BR
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/200146pt_BR
dc.description.abstractA taxa de homicídio no Estado do Rio Grande do Sul ao longo dos últimos anos tem apresentado um forte crescimento, saltando de 6,2 mortes a cada 100 mil habitantes no ano de 1995 para 27,9 no ano de 2017, crescimento superior a 350%. Diversos são os fatores apontados na literatura para explicar a variação observada, tais como indicadores socioeconômicos (usualmente renda e desigualdade), demográficos, percentual da proporção de homens jovens na população, efetivo policial, taxa de encarceramento, associação ao tráfico de drogas e armas de fogo, além da interação entre proibição e coerção do governo para suprimir o mercado de drogas. Este estudo tem por objetivo avaliar a evolução da taxa de homicídio neste território, identificando e analisando os principais fatores que a expliquem, sendo assim uma contribuição à literatura sobre a violência e criminalidade no Estado. Os resultados da pesquisa permitem observar a influência do tráfico de drogas, do efetivo policial e da variação na taxa de desemprego no crescimento da taxa de homicídio. A Regressão linear múltipla das três variáveis apresenta um coeficiente de ajustamento de 95,22%, com essas variáveis explicativas da evolução da taxa de crimes contra a vida. Devido à crise fiscal enfrentada pelo Estado por mais de três décadas, criou-se uma condição única para avaliar a influência do efetivo policial, pois em regra tem-se problema de endogeneidade e simultaneidade, uma vez que os gestores da segurança pública tendem a aumentar ou diminuir o efetivo em resposta ao comportamento do crime. Os resultados sugerem que boa parte das condições para uma taxa tão elevada já estavam satisfeitas, alinhadas com padrões coerentes aos atuais níveis de homicídio, desde 1995, como, por exemplo, uma elevada desigualdade social e um alto percentual de população jovem masculina. A redução do efetivo policial e a nova dinâmica das organizações criminosas, com o crescimento da atividade de tráfico de drogas, aliados a essa série de condições já estabelecidas, elevaram o patamar de homicídios no Estado.pt_BR
dc.description.abstractThe rate of homicides in the State of Rio Grande do Sul over the last few years has shown a strong growth, going from 6.2 deaths per 100 thousand inhabitants in 1995 to 27.9 in 2017, an increase of over 350%. There are several factors mentioned in the literature that explain the observed variation, such as socioeconomic, demographic indicators, the proportion of young men in the population, the police force, the incarceration rate, the association with drug trafficking and firearms, in addition to the interaction between prohibition and coercion on the part of the State to suppress the drug market. This study aims at examining the evolution of the rate of homicides in this territory, identifying and analyzing the main factors that explain it, thus contributing to the literature on violence and crime in the State. The results allow us to observe the influence of drug trafficking, the police force and the variation in the unemployment rate on the growth of the rate of homicides. The multiple linear regression of those three variables shows an adjustment coefficient of 95.22%, in which they explain the evolution of the rate of crimes against life. Due to the fiscal crisis the State has been facing for more than three decades, a unique condition arose to evaluate the influence of the police force, for in general there is a problem of endogeneity and simultaneity, since public safety managers tend to enlarge or reduce their staff in response to the behavior of crime rates. The results suggest that many of the conditions for such a high rate have been met since 1995, aligned with standards consistent with the current levels of homicides, such as a great social inequality and a high percentage of young males. The reduction of the police force and the new dynamics of criminal organizations, with the growth of drug trafficking, along with a series of already established conditions, have made the level of homicides in the State rise.en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectPublic Securityen
dc.subjectSegurança públicapt_BR
dc.subjectCrime Economyen
dc.subjectCriminalidadept_BR
dc.subjectHomicidesen
dc.subjectCrimept_BR
dc.subjectEconomiapt_BR
dc.subjectRio Grande do Sulpt_BR
dc.titleAnálise dos fatores determinantes do crescimento da taxa de homicídios no Estado do Rio Grande do Sul no período de 1995 a 2017pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001103607pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Ciências Econômicaspt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Economiapt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2019pt_BR
dc.degree.levelmestrado profissionalpt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record