Show simple item record

dc.contributor.advisorPokorski, Juliana de Oliveirapt_BR
dc.contributor.authorZanini, Joseane Marilei Baldassari Velosopt_BR
dc.date.accessioned2018-08-18T03:01:01Zpt_BR
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/181095pt_BR
dc.description.abstractEsta pesquisa tem como objetivo analisar as narrativas de professores e alunos sobre o fazer docente presente em escolas da educação básica específicas para surdos. Para tanto, proponho aqui uma investigação de caráter qualitativo, realizada através de análise de dados da pesquisa “Produções Culturais Surdas no Contexto da Educação Bilíngue”, articulada a leituras e reflexões sobre esse assunto. Para isso, selecionei dezoito narrativas de alunos e três narrativas de professores produzidas a partir de entrevistas semiestruturadas, realizadas por sujeitos que vivenciam a educação básica específica para surdos. Fundamentada na perspectiva do campo dos Estudos Culturais em Educação e Estudos Surdos, minha escrita foi construída a partir de pensamentos defendidos por teóricos tais como Karnopp e Klein (2016), Skliar (1997), Hall (2006), Thoma (2012), Perlin e Miranda (2003), Gesser (2009), Ladd e Gonçalves (2012), entre outros, com a intenção de compreender o fazer docente do sujeito que ocupa o papel de professor nesse espaço específico. A questão que orientou esse estudo foi: O que nos ensinam as narrativas produzidas pelos sujeitos da educação de surdos sobre ser docente nesse espaço? Das recorrências e das singularidades encontradas nas narrativas identifiquei as seguintes categorias: a importância da fluência linguística; docência que possibilita a constituição da identidade surda e consequente manutenção da cultura e comunidade surdas; a relevância da relação professor/aluno e do estabelecimento de vínculos atentos e ao disciplinamento dos alunos; e a importância do professor surdo na escola e as possibilidades de atuação do professor ouvinte nesse espaço. Entre os resultados destaca-se a língua de sinais, que foi abordada como marca que possibilita tornar-se surdo e também dá acesso à comunicação e aos conhecimentos escolares; e a escola como espaço que proporciona a constituição da identidade, e, portanto, o “bom” professor é aquele que fornece subsídios para que os alunos se tornem culturalmente surdos.pt
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectSurdopt_BR
dc.subjectEducação bilínguept_BR
dc.subjectLíngua Brasileira de Sinaispt_BR
dc.subjectDocênciapt_BR
dc.title“Me ensinou diversas coisas sobre ser surdo” : narrativas sobre o fazer docente na educação de surdos.pt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001074679pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Educaçãopt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2018pt_BR
dc.degree.graduationPedagogia: Licenciaturapt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record