Show simple item record

dc.contributor.advisorFlores, Valdir do Nascimentopt_BR
dc.contributor.authorSchneider, Vitor Jochimspt_BR
dc.date.accessioned2011-06-02T06:00:33Zpt_BR
dc.date.issued2010pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/29311pt_BR
dc.description.abstractInúmeros são os estudos que tomam as obras de Jean-Luc Godard como objetos de análise para investigações linguísticas, poéticas ou filosóficas. O presente trabalho aborda uma obra específica de Godard – “Viver a vida” (1962). O filme, no entanto, não é o objeto de estudo dessa empreitada. O objeto desta investigação é a linguagem. Visto que a linguagem não é algo para o qual se aponta com objetividade, o diálogo entre prostituta e filósofo, do capítulo XI do filme em questão, serve de base para que se projetem alguns questionamentos a respeito da natureza e função da linguagem. Tomando os enunciados das personagens como axiomas de uma teorização, percorre-se um caminho que tem como meta responder a pergunta: que tipo de coisa é a linguagem? E a partir da resposta obtida verifica-se qual é sua função mais primordial. O enunciado da prostituta Nana – “Eu gostaria de viver sem falar”, inicia a primeira meditação, que avalia a possibilidade de realizar tal desejo. O diagnóstico da impossibilidade de se viver sem falar abre caminho para visualizar o primeiro elemento da natureza da linguagem: sua essência processual. Em seguida, nosso questionamento volta-se para aquilo que comumente se denomina como poder da linguagem. Para tanto, é feito um exame do vocábulo poder e de como esse se manifesta na linguagem enquanto traço que separa o homem dos demais seres. No capítulo quatro, a investigação empreendida se dá com base na reclamação de Nana – “As palavras devem expressar apenas o que queremos dizer”. Neste momento, a natureza semântica da linguagem é acessada pela articulação de expressar e querer dizer como categorias nocionais. Como conclusão, a pergunta – “Então, falar é fatal?” – serve como motivação para se definir a função primeira da linguagem e dar fim a este percurso investigativo que pretende unir linguagem e vida.pt_BR
dc.description.abstractSeveral studies take Jean-Luc Godard’s oeuvre for their linguistics, poetic of philosophic investigations. The present work approaches a specific work by Godard –My life to live (1962). The film, however, is not the object of this quest. The object of this investigation is language. Since language is not something we can point out objectively, the dialog between a prostitute and a language philosopher, in the 12th chapter of the film, serves as a base to bring forth inquiries about nature and function of language. Taking the characters’ utterances as axioms of a theorization, we follow a path which intends to answer: what kind of thing is language? From the answer obtained, the primary function of language can be verified. To get the meditations going, the prostitute Nana’s utterance – ‘I would like to live without talking’ starts the first mediation about the impossibility of satisfying such desire and has as reason the most essential aspect of language: its process nature. Next, our questioning focuses on that which is commonly called the power of language. For that, an analysis of the word can is done and how it manifests itself in language as a trait that separates men from other beings. In the fourth chapter, the investigation is based on Nana’s complaint – ‘Words should express only what we want to say’. In this moment, the facets of language’s semantic nature are visualized articulating the term to express and to want as notional categories. Standing for a conclusion, the question – ‘So, speaking is fatal? – serves as a departure point to define the primeval function of language and to end this investigative promenade that intends to unite language and life.en
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectGodard, Jean-Luc, 1930-pt_BR
dc.subjectLanguage’s natureen
dc.subjectViver a vida (Filme)pt_BR
dc.subjectLanguage’s functionen
dc.subjectLanguage’s poweren
dc.subjectLinguagempt_BR
dc.subjectLanguage and lifeen
dc.titleReflexões sobre natureza e função da linguagempt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb000776636pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentInstituto de Letraspt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2010pt_BR
dc.degree.graduationLetras: Licenciaturapt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record