Show simple item record

dc.contributor.advisorLarrañaga Uriarte, Ana Margaritapt_BR
dc.contributor.authorSiqueira, Eduardo Henriquept_BR
dc.date.accessioned2018-11-14T02:41:05Zpt_BR
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/184626pt_BR
dc.description.abstractNos grandes centros urbanos, os congestionamentos são uma realidade cada vez mais evidente. Além do tempo perdido no trânsito e do desperdício de combustível, o uso do transporte individual motorizado como principal alternativa de deslocamento traz problemas econômicos, de emissões de gases do efeito estufa e poluentes locais e o uso inadequado do espaço urbano. Além dos altos investimentos envolvidos, a ampliação da infraestrutura viária não se provou eficaz e nem sustentável em resolver os problemas de congestionamento. Ao invés do tradicional aumento da infraestrutura viária, pode-se utilizar estratégias como a Gestão da Demanda de Viagens (GDV). Uma das medidas englobadas pela GDV é a Mobilidade Corporativa. Essa medida visa promover o uso de opções de transporte mais sustentáveis e eficientes que o transporte individual motorizado nos deslocamentos ao trabalho e/ou estudo das pessoas. Este trabalho tem por objetivo analisar o padrão de deslocamento dos alunos da Escola de Engenharia (EE) da UFRGS e propor recomendações que incentivem modos de transporte mais sustentáveis e eficientes entre os alunos. Em um primeiro momento, através da revisão bibliográfica narrativa, apresentou-se os principais conceitos referente a Polos Geradores de Viagens, Gestão de Demanda de Viagens e Mobilidade Corporativa. A seguir, realizou-se a avaliação das instalações de infraestrutura e da oferta de transporte no entorno da EE. Após isso, adaptou-se e aplicou-se uma pesquisa de padrão de deslocamento nos alunos que possuem aulas/atividades no Prédio Novo da EE. Os dados foram analisados possibilitando também avaliar as ações de Mobilidade Corporativa que possuem melhor potencial de incentivo aos modos de transporte mais sustentáveis. Como resultados, 49% da comunidade acadêmica utiliza o transporte coletivo como modo principal de transporte, seguido de 29% que utiliza o transporte não motorizado e 22% o transporte individual motorizado. Dentre as ações de Mobilidade Corporativa melhores avaliadas, destaca-se a melhoria na segurança nos pontos de ônibus próximos à Universidade (incentivo ao transporte coletivo), a melhoria na segurança pública no trajeto (incentivo à bicicleta) e implementação de um aplicativo de caronas exclusivo para alunos da UFRGS (incentivo a carona).pt
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectEngenharia civilpt_BR
dc.titleIncentivando a mobilidade sustentável : análise da Escola de Engenharia da UFRGSpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisor-coPetzhold, Guillermo Sant'Annapt_BR
dc.identifier.nrb001079241pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentEscola de Engenhariapt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2018pt_BR
dc.degree.graduationEngenharia Civilpt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record