Show simple item record

dc.contributor.advisorStrelow, Aline do Amaral Garciapt_BR
dc.contributor.authorQuines, Janyce Pintopt_BR
dc.date.accessioned2017-10-18T05:37:21Zpt_BR
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/169545pt_BR
dc.description.abstractEsta monografia tem como objetivo geral analisar como a mídia e a comunicação aparecem na obra Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, lançada em 1932. Para isso, foram estabelecidos como objetivos específicos: identificar passagens de Admirável Mundo Novo que trazem o uso de instrumentos de mídia e comunicação; analisar, na obra, como esses mecanismos são usados como meio de controle da sociedade e das massas; e, a partir daí, relacionar esses achados com o sistema fascista no qual o autor estava inserido na época em que escreveu a obra. Para trazer a fundamentação teórica necessária, foi discutido o desenvolvimento do papel do escritor como crítico social e feita breve abordagem de como a mídia é retratada na literatura ficcional. A fim de contextualização, foi proposta uma discussão teórica dos usos da mídia durante o regime fascista de Mussolini na Itália. Para o desenvolvimento da análise, foi usada a metodologia de Análise de Conteúdo, onde trechos de Admirável Mundo Novo foram coletados e divididos em quatro categorias baseadas nos instrumentos de mídia e comunicação destacados em cada passagem. As categorias são Condicionamento e Propaganda, Mídia Audiovisual, Jornalismo e Censura. Os resultados apresentados mostraram semelhanças entre as escolhas de Huxley quanto à utilização da mídia e da comunicação na sociedade criada por ele e a maneira como Mussolini utilizava desses mesmos meios para construir a imagem de seu governo. As principais semelhanças apresentadas estão na exploração da persuasão e do controle da informação para manipular a socialização do indivíduo, bem como a opção pelo uso do cinema e do rádio como as mídias que fazem a ponte entre o discurso das autoridades e a recepção das massas.pt_BR
dc.description.abstractThis monograph has as general objetive to analyse how media and communication appear in Aldous Huxley's Brave New World, which was launched in 1932. For this purpose, specific objectives were set: to identify passages of Brave New World that bring the use of media and communication‟s instruments; to analyse, in the work, how these mechanisms are used as a way to controll society and the masses; and, from there, to relate these findings to the fascist system in which the author was inserted at the time he wrote the work. To bring the necessary theoretical foundation, it was discussed the development of the writer's role as a social critic and a brief approach to how the media is portrayed in fictional literature was made. In order to contextualize, a theoretical discussion of the uses of the media during the fascist regime of Mussolini in Italy was proposed. For the development of the analysis, the Content Analysis methodology was used, where sections of Brave New World were collected and divided into four categories based on the media and communication instruments highlighted in each passage. The categories constitute Conditioning and Propaganda, Audiovisual Media, Journalism and Censorship. The results presented showed similarities between Huxley's choices regarding the use of media and communication in the society he created and the way in which Mussolini used the same means to construct the image of his government. The main similarities are the use of persuasion and the control of information to manipulate the socialization of the subject, as well as the option of using the cinema and the radio as the media that links the discourse of the authorities and the reception of the masses.en
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectBrave New Worlden
dc.subjectLiteraturapt_BR
dc.subjectLiteratureen
dc.subjectComunicaçãopt_BR
dc.subjectFascismen
dc.subjectHuxley, Aldous, 1894-1963. Brave new world : Admirável mundo novo : Crítica e interpretaçãopt_BR
dc.subjectMediaen
dc.titleSessenta e duas mil repetições fazem uma verdade: a mídia e a comunicação em Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxleypt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001048855pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Biblioteconomia e Comunicaçãopt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2017pt_BR
dc.degree.graduationComunicação Social: Habilitação em Propaganda e Publicidadept_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record