Show simple item record

dc.contributor.advisorOzorio, Carla Pennapt_BR
dc.contributor.authorDutra, Felipe de Souzapt_BR
dc.date.accessioned2012-05-03T01:27:06Zpt_BR
dc.date.issued2011pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/40131pt_BR
dc.description.abstractEste trabalho tem o objetivo de comparar a comunidade meiobentônica das praias arenosas do Litoral Norte e Litoral Médio do Rio Grande do Sul, durante o período de Verão. As praias escolhidas para o Litoral Norte foram Capão da Canoa e Tramandaí, e para o Litoral Médio, Mostardas e Tavares. Por praia foram estabelecidos dois perfis, subdivididos nos estratos Supralitoral (1), Intermareal Úmido (2) e Intermareal Saturado (3), seguindo o gradiente de umidade. Em cada estrato, foram retiradas seis amostras: quatro para o meiobentos; uma para clorofila a; e uma para matéria orgânica. O material com meiobentos foi quantificado e classificado em nível de grandes grupos. Nematoda foi o grupo mais abundante (61,92% do total), seguido de Copepoda Harpacticoida (18,8%), Turbellaria, (13,71%), Oligochaeta (3,58%), Cilliophora (1,73%) e Acarina (0,19%), além de Polychaeta, Collembola, Crustacea e Coleoptera, agrupados em Outros (<0,1%). Nematoda dominou no Supralitoral (85.05%) e no Intermareal Úmido (73,78%), enquanto que no Intermareal Saturado o grupo dominante foi Copepoda (42,61%), seguido de Nematoda (31,49%) e Turbellaria (23,23%). O estrato Intermareal Úmido de modo geral, apresentou a menor densidade média (904 ind/10cm²), não havendo diferenças significativas entre o Supralitoral e Intermareal Saturado. A praia de Tramandaí se mostrou mais semelhante à Tavares, por apresentarem as maiores densidades do Meiobentos Total no Supralitoral. Capão da Canoa e Mostardas tiveram as maiores densidades no Intermareal Saturado. Não houve diferenças entre o Litoral Norte e Litoral Médio quanto à composição taxonômica, à densidade média do Meiobentos Total (teste-t=-0,24;p=0,02), e quanto às densidades médias por estrato (F=2,16;p=0,121). As análises da matéria orgânica mostraram que o Litoral Norte apresenta as maiores concentrações e que ela aumenta com a umidade. A Composição da fauna foi menor do que a encontrada em outros estudos, mas manteve-se o padrão da dominância de Nematoda seguido de Copepoda. A novidade deste trabalho é a presença de uma fauna abundante no Supralitoral, fato ainda não reportado para outras praias. A região Intermareal com elevada densidade de organismos é característica de praias com regime de micromarés. O trabalho mostra que, mesmo havendo diferenças significativas de ocupação urbana, concentrações de matéria orgânica e graus de erosão e deposição, não houve diferenças na estrutura das comunidades meiobentônicas nos Litorais Norte e Médio. As diferenças entre as praias indicam que fatores intrínsecos são mais importantes para a determinação da comunidade meiobentônica entre os estratos. Fatores para macrorregiões, como clima, granulometria e morfodinâmica foram importantes para caracterizar a composição da fauna para o litoral do Rio Grande do Sul, não havendo diferenças no Litoral Norte e Litoral Médio. Assim sendo, mais trabalhos precisam ser realizados neste ambiente, envolvendo áreas urbanizadas e não urbanizadas, a fim de se elucidar mais claramente o papel das variáveis ambientais na zona praial e na regulação de sua comunidade meiobentônica.pt_BR
dc.description.abstractThis work aims to compare meiobenthic community of the sandy beaches of the North Coast and Middle East Coast of Rio Grande do Sul, Brazil, during the Summer season. The chosen beaches of the North Coast are Capão da Canoa and Tramandaí, and of the East Coast, are Mostardas and Tavares. Two profiles were established by beach, divided in strata Supralittoral (1), Humid Intertidal (2) and Saturated Interdital (3), following the gradient of humidity. In each stratum, six samples were collected: four for meiobenthos, one for chlorophyll a, and one for organic matter. The material with meiobentos was quantified and classified in the higher taxonomic groups. Nematoda were the most abundant group (61.92% of total), followed by Copepoda Harpacticoida (18.8%), Turbellaria (13.71%), Oligochaeta (3.58%), Cilliophora (1.73%) and Acarina (0.19%), also Polychaeta, Collembola, Coleoptera and Crustacea, grouped in Other (<0.1%). Nematodes dominated in the Supralittoral (85.05%) and Humid Intertidal (73.78%), while in the Saturated Intertidal Copepoda was the dominant group (42.61%), followed by Nematoda (31.49%) and Turbellaria (23, 23%). The Intertidal Humid strata generally had the lowest average density (904 ind/10cm ²), with no significant differences between the Supralittoral and the Saturated Intertidal. Tramandaí beach was more similar to Tavares for presenting the highest densities of the Meiobentos Total in Supralittoral. Capão da Canoa and Mostardas had the highest densities in the Saturated Intertidal. There were no differences between the North Coast and Middle Coast on the taxonomic composition, on the density of Meiobentos Total (teste-t=-0,24;p=0,02), and on the average densities per stratum (F = 2.16, p = 0.121). Analyses of organic matter showed that North Coast has the highest concentration and it increases with humidity. The composition of the fauna was lower than that found in other studies, but the pattern of the dominance of Nematoda followed by Copepoda remained. The novelty of this work is the presence of abundant fauna in the Supralittoral, fact not yet reported for other beaches. The Interdital region with high density of organisms is characteristic of beaches with Microtidal regime.The work shows that even significant differences of urban settlement, concentration of organic matter and degree of erosion and deposition, there were no differences in the meiobentônicas communitys structure in the North and Middle Coasts. The differences between the beaches indicate that intrinsic factors are more important in determining meiobentônica community among the strata. Factors for macro-regions, such as climate, grain size and morphodynamics are important to characterize the composition of the fauna to the coast of Rio Grande do Sul, with no differences in the North Coast and Middle Coast. Therefore, more works needs to be done in this environment, involving urbanized and undeveloped areas, in order to elucidate more clearly the role of environmental variables in the area praial and in the regulation of their meiobentônica community.en
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectMeiofaunaen
dc.subjectFauna bentônica marinhapt_BR
dc.subjectSandy beachesen
dc.subjectMeiofauna marinhapt_BR
dc.subjectDissipative beachesen
dc.subjectRio Grande do Sul, Litoral médio lestept_BR
dc.subjectRio Grande do Sul, Litoral nortept_BR
dc.subjectMicrotidalen
dc.subjectCoast of Rio Grande do Sulen
dc.titleComposição e distribuição do meiobentos de praias arenosas subtropicais do Atlântico Sul Ocidental durante a estação de verão : uma comparação entre o Litoral Norte e o Litoral Médio do Rio Grande do Sul, Brasilpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb000786562pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentInstituto de Biociênciaspt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2011pt_BR
dc.degree.graduationCiências Biológicas: Ênfase em Biologia Marinha e Costeira: Bachareladopt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record