Show simple item record

dc.contributor.advisorCepik, Marco Aurelio Chavespt_BR
dc.contributor.authorSchelp, Priscila Gonçalvespt_BR
dc.date.accessioned2019-01-18T02:31:35Zpt_BR
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/187893pt_BR
dc.description.abstractA presente pesquisa tem como objetivo avaliar os impactos do crescimento da China para a América Latina e o Brasil, mais precisamente a partir do ingresso chinês na Organização Mundial do Comércio – OMC, em 2001. Busca-se, assim, contextualizar o acelerado crescimento chinês que, desde as reformas econômicas da década de 1970, inseriu o país na trajetória de uma potência internacional. A virada do milênio aponta uma China mais atuante no comércio internacional, principalmente na busca por recursos naturais para dar sustentação ao intenso processo de urbanização, um dos frutos de sua modernização econômica. Nesse âmbito, a América Latina, após as fracassadas reformas liberalizantes da década de 1990, percebe na parceria com a China uma oportunidade de retomar um ritmo de crescimento satisfatório. O Brasil, por sua vez, também intensifica relações com a China na lógica de dinamizar sua economia. Vários fatores, no entanto, levam ao questionamento dos impactos que essa interação pode gerar, de forma geral, para os países latino-americanos e também para o Brasil. Pretende-se, com essa pesquisa, analisar os possíveis efeitos dessas relações, identificando os principais desafios envolvidos.pt
dc.description.abstractThe present research has the objective to evaluate the impacts of China’s economic growth on Latin America and Brazil, more precisely since the Chinese entrance in the World Trade Organization – WTO, in 2001. Therefore, it is sought to contextualize the accelerated Chinese growth, that since the economic reforms in the 1970s, inserted the country in the path of a global power. Within this scope, Latin America, after the failed liberalizing reforms from the 1990s, perceives the partnership with China as an opportunity to resume a satisfying growth rhythm. Brazil, in turn, also intensifies relations with China in the logic of boosting its economy. Many factors, however, lead to the questioning of the impacts that this interaction may generate, overall, to Latin American countries and also to Brazil. It is intended, with this research, to analyze the possible effects of these relations, identifying its main challenges.en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectRelações internacionaispt_BR
dc.subjectBrazilen
dc.subjectLatin Americaen
dc.subjectChinapt_BR
dc.subjectEconomic Growthen
dc.titleA modernização naval chinesa e as respostas na região Ásia-Pacíficopt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001083297pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Ciências Econômicaspt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2017pt_BR
dc.degree.graduationRelações Internacionaispt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record