Show simple item record

dc.contributor.advisorSchultz, Cesar Leandropt_BR
dc.contributor.authorPretto, Flávio Augustopt_BR
dc.date.accessioned2010-03-05T04:14:57Zpt_BR
dc.date.issued2009pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/18660pt_BR
dc.description.abstractOs mesossaurídeos são os mais antigos amniotas a desenvolver adaptações atribuídas ao hábito aquático (como um corpo hidrodinâmico, cauda lateralmente comprimida e costelas espessas). Seus fósseis são coletados abundantemente em sedimentos datados do Eopermiano, com uma distribuição que abrange Brasil (Formação Irati), Uruguai (Formação Mangrullo), Paraguai, Namíbia (Formação Huab) e sul da África (Formação Whitehill). São atualmente reconhecidos três gêneros integrando a família Mesosauridae (Mesosaurus, Stereosternum e Brazilosaurus). Apesar de conhecido há quase um século e meio, contudo, e mesmo diante da grande quantidade de fósseis disponíveis para estudo, o grupo ainda é considerado problemático por diversos autores, em especial devido à falta de estabilidade filogenética. Diversas informações acerca da osteologia de mesossaurídeos ainda são controversas ou pouco informativas, o que dificulta trabalhos derivados do conhecimento morfológico (desde a anatomia funcional até a filogenia do grupo). Além disso, a grande maioria do conhecimento obtido para o grupo baseia-se apenas em dados referentes a Mesosaurus, com relativamente poucos estudos acerca dos dois gêneros restantes. Dada a disponibilidade de bons materiais de Stereosternum depositados na coleção de paleovertebrados do Departamento de Paleontologia e Estratigrafia do Instituto de Geociências da UFRGS, e frente a poucas revisões feitas para o táxon, esse trabalho efetua um reconhecimento e revisão osteológica, vinculando, quando possível, alguns aspectos da morfologia dos elementos ósseos a um contexto funcional. Características como a forte ossificação dos elementos do pulso em indivíduos adultos, a presença de membranas interdigitais e a presença de um sólido sistema de articulações entre as vértebras, reconhecidas por outros autores, foram confirmadas e são discutidas. Além disso, a forte musculatura caudal, cuja presença é interpretada a partir da morfologia da respectiva série vertebral, e a possível presença de estruturas sensoriais no dentário, similares às de predadores aquáticos atuais, reforçam o grau de adaptação atingido por Stereosternum para adequar-se ao meio aquático.pt_BR
dc.description.abstractMesosaurids are the most ancient amniotes to develop adaptations related to an aquatic habit (as a hydrodynamic body, laterally-compressed tail and thickened ribs). Fossils of mesosaurid specimens are abundantly collected in sediments dating from Eopermian, with a distribution that comprises Brazil (Irati Formation), Uruguay (Mangrullo Formation), Paraguay, Namibia (Huab Formation) and southern Africa (Whitehill Formation). Three genera are currently recognized as integrating the family Mesosauridae (Mesosaurus, Stereosternum and Brazilosaurus). Even being known for about one and a half century, and despite the amount of fossils available for study, the group is still considered problematic by many authors, mainly because of the lack of phylogenetic stability. Much information concerning the osteology of mesosaurids is still matter of controversy or poorly defined, what imposes difficulties to studies that derive from morphological data (from functional anatomy to the phylogeny of the group). Additionally, most of the obtained knowledge of the group is based on Mesosaurus data, with the two remaining genera still poorly studied. Given the availability of good Stereosternum materials deposited at the paleovertebrates collection of the Departamento de Paleontologia e Estratigrafia of the Instituto de Geociências, UFRGS, and facing few revisions focusing this taxon, this work consists in the recognizing and revision of osteologycal information, linking, when possible, some aspects of the morphology of bone elements to a functional context. Features as the strong ossification of the wrists and ankles in adult individuals, the presence of interdigital membranes and the presence of a solid articulating system among the vertebrae, recognized by previous workers, are confirmed and discussed. Additionally, the strong tail musculature, inferred with basis on the morphology of the respective vertebral series, and the possible presence of sensorial structures in the dentary, similar to the ones found in extant aquatic predators, show the degree of adaptation achieved by Stereosternum to live in the aquatic environment.en
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectStereosternum tumidumpt_BR
dc.subjectOsteologiapt_BR
dc.titleAnálise osteológico-dentária de Stereosternum tumidum Cope 1886, amniota primitivo da Formação Irati, Permiano do Brasilpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisor-coCisneros Martinez, Juan Carlospt_BR
dc.identifier.nrb000730693pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentInstituto de Biociênciaspt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2009pt_BR
dc.degree.graduationCiências Biológicas: Ênfase Ambiental: Bachareladopt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record