Show simple item record

dc.contributor.advisorWyse, Angela Terezinha de Souzapt_BR
dc.contributor.authorMarques, Eduardo Peilpt_BR
dc.date.accessioned2018-09-25T02:34:10Zpt_BR
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/182512pt_BR
dc.description.abstractA deficiência de guanidinoacetato metiltransferase (GAMT) é um erro inato do metabolismo (EIM) detectado entre as síndromes da deficiência de creatina, sendo causada por uma mutação no gene que codifica a enzima GAMT, o que leva a uma diminuição na síntese de creatina e um consequente aumento na concentração de guanidinoacetato (GAA). Pessoas que sofrem dessa síndrome começam a apresentar sintomas neurológicos na infância como: hipotonia muscular, movimentos extrapiramidais involuntários e convulsões. O objetivo geral do presente projeto foi estudar a neurotoxicidade do GAA, através de estudo do comportamento (teste de reconhecimento de objetos), atividade da enzima acetilcolinesterase (AChE) e testes bioquímicos de estresse oxidativo (enzimas antioxidantes e oxidação da 2,7-diclorofluoresceína), bem como o papel da creatina como neuroprotetora utilizando um modelo de cirurgia estereotáxica em ratos adultos. Ratos Wistar de 60 dias de vida foram submetidos a cirurgia estereotáxica após um pré-tratamento com creatina ou salina que durou 7 dias. Após a cirurgia os animais receberam uma administração intraestriatal sendo divididos em quatro grupos: (1) controle (infusão intraestriatal de salina e pré-tratamento com salina), (2) Salina + GAA (infusão intraestriatal de GAA e pré-tratamento com salina), (3) Creatina + GAA (infusão intraestriatal de GAA e pré-tratamento com creatina), (4) Creatina + Salina (infusão intraestriatal de salina e pré-tratamento com creatina). Uma hora após a administração intraestriatal os ratos foram decapitados para análise bioquímica do estriado ou submetidos ao teste comportamental. Resultados mostraram que a administração intraestriatal de GAA foi capaz prejudicar a performance de ratos no teste de reconhecimento de objetos, além de aumentar a atividade da AChE, aumentar a produção de espécies reativas e diminuir a atividade de enzimas antioxidantes. Creatina se mostrou capaz de prevenir a maioria das alterações, com exceção da diminuição da atividade da enzima superóxido dismutase (SOD). É possível supor que as alterações bioquímicas aqui encontradas contribuem para as alterações neurológicas apresentadas por pacientes com deficiência de GAMT. É possível que a suplementação com creatina possa ser um tratamento adjuvante.pt
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectErros inatos do metabolismopt_BR
dc.subjectGuanidinoacetato N-Metiltransferase : Deficiênciapt_BR
dc.subjectCreatinapt_BR
dc.subjectMemóriapt_BR
dc.subjectAcetilcolinesterasept_BR
dc.subjectEstresse oxidativopt_BR
dc.titleCreatina previne alterações em parâmetros de memória, atividade da acetilcolinesterase e estresse oxidativo em ratos submetidos à injeção intraestriatal de guanidinoacetatopt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001075986pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentInstituto de Ciências Básicas da Saúdept_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2016pt_BR
dc.degree.graduationBiomedicinapt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record