Show simple item record

dc.contributor.advisorGuazzelli, Cesar Augusto Barcellospt_BR
dc.contributor.authorBezerra, Maria Aparecida Pirespt_BR
dc.date.accessioned2018-09-20T02:29:11Zpt_BR
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/182244pt_BR
dc.description.abstractO presente trabalho tem por objetivo analisar o processo de radicalização da Revolução Cubana nos três discursos históricos de Fidel Castro. Em "A História me Absolverá", discurso feito em 16 de outubro de 1953, em sua autodefesa pelo assalto ao quartel Moncada, Fidel faz uma acusação contra a ditadura de Batista e a ilegalidade do Judiciário em Cuba, dando continuidade aos ideais martianos de um país livre e independente. Neste discurso Fidel defende uma profunda reforma política e econômica para o país. A "Primeira Declaração de Havana", realizada em 02 de setembro de 1960, é uma virtual proclamação de independência em relação aos Estados Unidos da América, mostrando a Revolução Cubana como uma revolução nacionalista e anti-imperialista. A "Segunda Declaração de Havana", de 04 de fevereiro de 1962, é o manifesto conclamando a libertação do continente americano, em que Fidel Castro rompeu definitivamente com o sistema interamericano e com vários dogmas marxistas incompatíveis com o regime cubano. Os três discursos são fontes primárias do presente estudo. Através deles pretendemos mostrar que a radicalização do processo revolucionário cubano se deu em função das represálias que o imperialismo estadunidense assumia em relação à medida que os revolucionários implementavam no governo de Cuba.pt
dc.description.abstractThe present work aims to analyze the process of radicalization of the Cuban Revolution in the three historical discourses of Fidel Castro. In "History Will Absolve Me", the speech made on October 16, 1953, in his self-defense for the assault on the Moncada barracks, Fidel makes an accusation against the dictatorship of Batista and the illegality of the Judiciary in Cuba, giving continuity to the Marti ideals of a free and independent country. In this speech Fidel advocates a profound political and economic reform for the country. The "First Declaration of Havana," held on September 2th, 1960, is a virtual proclamation of independence from the United States of America, showing the Cuban Revolution as a nationalist and anti-imperialist revolution. The "Second Havana Declaration" of February 4, 1962, is the manifesto calling for the liberation of the American continent, in which Fidel Castro definitively broke with the inter-American system and with various Marxist dogmas incompatible with the Cuban regime. The three discourses are primary sources of the present study. Through them we intend to show that the radicalization of the Cuban revolutionary process was due to the reprisals that US imperialism assumed in relation to the measure that the revolutionaries implemented in the government of Cuba.en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectCastro, Fidel, 1927- : Crítica e interpretaçãopt_BR
dc.subjectCuban Revolutionen
dc.subjectRevolução cubanapt_BR
dc.subjectSocialismen
dc.subjectImperialismopt_BR
dc.subjectReformen
dc.subjectSpeechen
dc.subjectImperialismen
dc.titleFidel em três textos : a radicalização da revolução cubana em três tempos (1953 – 1962)pt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001076397pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentInstituto de Filosofia e Ciências Humanaspt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2018pt_BR
dc.degree.graduationHistória: Bachareladopt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record