Show simple item record

dc.contributor.advisorFerrari Filho, Fernandopt_BR
dc.contributor.authorBrackmann Netto, Arthurpt_BR
dc.date.accessioned2015-05-14T02:01:08Zpt_BR
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/116247pt_BR
dc.description.abstractO Brasil nos anos 2000, em contraste com a década anterior, apresentou um maior crescimento econômico sustentado em políticas de incentivo ao consumo e de distribuição de renda. Para uma avaliação da pertinência dessas políticas, o presente trabalho tem como objetivo avaliar a estrutura de crescimento da economia brasileira com base nos modelos de crescimento e distribuição pós-keynesianos. Os resultados teóricos iniciais indicavam que o único resultado possível para as economias contemporâneas era o crescimento com distribuição de renda em favor dos trabalhadores. Entretanto, as formulações mais recentes dos modelos de crescimento e distribuição pós-keynesianos permitem a distinção entre dois tipos de crescimento, wage-led e profit-led. Os resultados empíricos com base nessa distinção mantêm o resultado teórico inicial para a maior parte das economias. Entretanto, eles destacam a importância do setor externo na estrutura de crescimento dos países, caracterizando as economias em desenvolvimento frequentemente como profit-led. O Brasil distingue-se das demais economias em desenvolvimento, uma vez que os resultados empíricos apontam para um regime, pelo menos doméstico, wage-led. A avaliação dos resultados das políticas de distribuição e de incentivo ao consumo permite a mesma conclusão apresentada pelas evidências empíricas, porém apontando a importância de um setor externo competitivo para a sustentação de um modelo de crescimento wage-led brasileiro.pt_BR
dc.description.abstractBrazil in the 2000’s, in contrast with the preceding decade, presented a higher economic growth sustained by consuption and distribution driven polices. In order to make an evaluation of the pertinence of these polices, the present work has the objective to investigate the growth structure of brazilian economy using the post-keynesian growth and distribution model as a base. The first teorical results pointed that the only possible result for the contemporary economies was growth with redistribuition of income towards labour workers. Nevertheless, the recent formulations of the post-keynesian growth and distribution models allow a distinction between two types of growth, wage-led and profit-led. The empirical results based on this distinction keep the teorical results for most of the economies. However, they highlight the importance of the external sector in the growth structure of the economies, showing up that economies in development tend to be frequently profit-led. Brazil differs from other developmenting economies once its empirical results point that its regime, at least the domestic one, is wage-led. The evaluation of the results of the consumption and distribution polices leads to the same conclusion presented by the empirical observations, but it also points the importance of a competitive external sector for a sustainable wage-led growth in the brazilian economy.en
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectDistributionen
dc.subjectEconomiapt_BR
dc.subjectGrowthen
dc.subjectPost-keynesianen
dc.subjectWage-leden
dc.subjectProfit-leden
dc.titleRegime de crescimento da economia brasileira : uma análise dos anos 2000pt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb000954679pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Ciências Econômicaspt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2014pt_BR
dc.degree.graduationCiências Econômicaspt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record