Show simple item record

dc.contributor.advisorFonseca, Laura Souzapt_BR
dc.contributor.advisorBrauner, Mario Roberto Generosipt_BR
dc.contributor.authorMeneghel, Marina El Hajjarpt_BR
dc.date.accessioned2014-02-26T01:51:39Zpt_BR
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/87750pt_BR
dc.description.abstractEducação Física é uma só! Formação Unificada JÁ! demonstrou ser uma das principais campanhas tocadas pelo Movimento Estudantil de Educação Física (MEEF). Após aprovação das atuais Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) os cursos do país passaram por reestruturações curriculares e grande parte dividiu o curso em licenciatura e bacharelado, acreditando que era um ordenamento do Conselho Nacional de Educação (CNE). A partir das contradições vivenciadas pelos estudantes que tiveram seu curso fragmentado, o Diretório Acadêmico de Educação Física (DAEFI) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) buscou, a partir da campanha do MEEF, travar uma luta pela unificação dos cursos. O presente trabalho objetiva analisar a atuação do MEEF/DAEFI-UFRGS na problemática da formação em EF – principalmente a divisão curricular em licenciatura e bacharelado – e seus desdobramentos nas disputas político-pedagógicas. Este estudo de caráter qualitativo e orientado pelo materialismo histórico dialético, utiliza o estudo de caso como sua opção metodológica. Os principais instrumentos de coleta de dados foram: 1. A revisão da produção acadêmica – para compreendermos se houve publicação sobre a temática nas universidades onde essa campanha foi mais expressiva; 2. A análise de documentos – através de materiais disponíveis virtualmente, jornais, panfletos, deliberações de plenária final, revistas, cartazes, reuniões, deliberações de semanas acadêmicas e seminários, para caracterizarmos os agentes imediatos, MEEF/CONFEF/CBCE/MNCR; 3. E um grupo focal com integrantes do DAEFI. Situamos a sociedade capitalista e a conjuntura política dando foco nas políticas neoliberais, a partir da década de 1990, e como as mesmas vão se desdobrar em políticas para educação superior. Qual o perfil de trabalhador busca-se formar e como a implementação das atuais DCN para Educação Física se situam nesse contexto. Procuramos resgatar o histórico e os embates em torno da aprovação das DCN e caracterizamos os principais agentes imediatos desse processo. Fizemos um resgate histórico e análise do processo da reestruturação curricular da ESEF/UFRGS. Como considerações à modo de conclusão afirmamos que o MEEF/ExNEEF e MNCR foram os principais agentes em defesa da unificação do curso. O CBCE proporcionou espaços de debates, mas há pouco posicionamentos da assembleia dos associados, sendo um espaço em disputa. E o CONFEF/CREF é o principal agente imediato que defende a divisão curricular. Na ESEF a atuação do DAEFI foi fundamental para o processo de reestruturação curricular, mas os embates internos não permitiram que o curso unificasse, estando ainda fragmentado através de ênfases do bacharelado. Compreendemos que as disputas pelas DCN estão no contexto geral de reestruturação produtiva, por isso é necessário que essa luta específica esteja vinculada a lutas gerais da sociedade.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectEducação físicapt_BR
dc.subjectMovimento estudantilpt_BR
dc.subjectCurrículopt_BR
dc.titleEducação física é uma só! Formação unificada já! a campanha do movimento estudantil de educação física na ESEF/UFRGSpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb000911807pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentEscola de Educação Físicapt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2013pt_BR
dc.degree.graduationEducação Física: Licenciaturapt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record