Mostrar el registro sencillo del ítem

dc.contributor.advisorWeiss, Maurício Andradept_BR
dc.contributor.authorPantin, Djulian Schmidtpt_BR
dc.date.accessioned2022-11-30T04:53:47Zpt_BR
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/252017pt_BR
dc.description.abstractA pandemia do Coronavírus trouxe consigo radicais mudanças ao ambiente econômico mundial. Ela causou disrupção nas cadeias produtivas, paralisação de linhas de produção, limitações à circulação de pessoas e, consequentemente, uma recessão global. A política monetária tem um papel importante na determinação da liquidez e no preço do crédito e do câmbio, fatores que são capazes de afetar a demanda agregada, fazendo com que ela se torne uma ferramenta indispensável em momentos de estresse econômico. O Banco Central do Brasil (BCB) é a entidade responsável pela execução da política monetária no país, atuando sob o regime monetário intitulado Regime de Metas de Inflação (RMI), que define as “regras do jogo” da política monetária. Portanto, o presente trabalho visa analisar a condução da política monetária pelo BCB durante a pandemia do Coronavírus. Retoma-se o RMI, desde a sua concepção e estrutura teórica, até sua manifestação prática e seu desenho institucional no Brasil. A política monetária e os dados de inflação, taxas de juros, emprego e produção industrial de diversos países são apresentados, bem como os preços de commodities e do dólar, para contextualizar a política monetária do BCB. São apresentadas as peculiaridades do caso brasileiro, tanto no tangente às vulnerabilidades externas quanto à política monetária. O país, por depender de capital financeiro externo para manter sob controle a inflação via canal de câmbio, deve praticar altas taxas de juros, que também servem ao objetivo de estabilização do setor financeiro nacional. Também há grande influência de preços administrados sobre o índice de preços do país, assim como a presença de obstrução nos canais de política monetária. Associa-se a isso o fato que, na pandemia, a pressão inflacionária adveio principalmente de altas em preços de commodities e de dificuldades nas cadeias produtivas globais, e a inflação brasileira apresentou características típicas de uma inflação de custos, a qual a política monetária tem pouca capacidade de controlar. Ela enfrenta, por conseguinte, várias dificuldades ao perseguir o objetivo de controle inflacionário, assim como o de pleno emprego e crescimento econômico. Revisa-se, por fim, as decisões de política monetária tomadas pelo COPOM (Comitê de Política Monetária), concluindo-se que, nesse caso, mesmo o COPOM e o BCB promovendo política monetária de maneira tempestiva e acertada, ela não foi capaz de atingir os objetivos macroeconômicos.pt_BR
dc.description.abstractThe Coronavirus pandemic has brought with it radical changes to the world’s economic environment. It caused disruption in production chains, paralysis of production lines, limitations on the movement of people and, consequently, a global recession. Monetary policy plays an important role in determining liquidity and the price of credit and exchange rates, factors that are capable of affecting aggregate demand, making it an indispensable tool in times of economic stress. The Banco Central do Brasil (BCB) is the entity responsible for executing monetary policy in the country, operating under the Inflation Targeting Regime (ITR), which defines the “rules of the game” for monetary policy. Therefore, the present work aims to analyze the execution of monetary policy by the BCB during the Coronavirus pandemic. The ITR is revised, from its conception and theoretical structure, to its practical manifestation and institutional design in Brazil. Monetary policy and data on inflation, interest rates, employment and industrial production from several countries is presented, as well as commodity and dollar prices, to contextualize the BCB's monetary policy. The peculiarities of the Brazilian case are presented, both in terms of external vulnerabilities and monetary policy. The country, as it depends on external financial capital to keep inflation under control via the exchange rate channel, must practice high interest rates, which also serve the objective of stabilizing the national financial sector. There is also a strong influence of administered prices on the country's price index, as well as the presence of obstructions in the monetary policy channels. Taking this into account and the fact that, during the pandemic, inflationary pressure came mainly from high commodity prices and difficulties in global production chains, the Brazilian inflation presented typical characteristics of cost inflation, which monetary policy has little ability to control. It, therefore, faces several difficulties in pursuing the objective of controlling inflation, as well as full employment and economic growth. Finally, the monetary policy decisions taken by the COPOM (Monetary Policy Committee) are revised, with the conclusion that, in this case, even though the COPOM and the BCB executed monetary policy in a timely and correct manner, it was not able to accomplish its macroeconomic objectives.en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectInflation targetingen
dc.subjectPolítica monetáriapt_BR
dc.subjectPandemia de COVID-19 (2020-)pt_BR
dc.subjectMonetary policyen
dc.subjectBrasilpt_BR
dc.subjectPandemicen
dc.titleO Regime de Metas de Inflação e a política monetária no Brasil durante a pandemia do Coronavíruspt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001153683pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Ciências Econômicaspt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2022pt_BR
dc.degree.graduationCiências Econômicaspt_BR
dc.degree.levelgraduaçãopt_BR


Ficheros en el ítem

Thumbnail
   

Este ítem está licenciado en la Creative Commons License

Mostrar el registro sencillo del ítem