Show simple item record

dc.contributor.authorMachado, Sérgio Jurandyrpt_BR
dc.contributor.authorPinto, Antonio Carlos Figueiredopt_BR
dc.date.accessioned2010-04-16T09:16:28Zpt_BR
dc.date.issued2009pt_BR
dc.identifier.issn1413-2311pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/20748pt_BR
dc.description.abstractO termo imunização denota a construção de uma carteira de títulos de forma a torná-la imune a variações nas taxas de juros. No caso das entidades de previdência complementar, o objetivo da imunização é distribuir os recebimentos intermediários e finais dos ativos de acordo com o fluxo de pagamentos dos benefícios. Em geral, quanto maior a classe de alterações na estrutura a termo das taxas de juros, mais restritivo se torna o modelo. O artigo busca comparar o desempenho de modelos de gestão de risco de taxa de juros que, baseados em alternativas distintas de programação matemática, objetivam garantir o pagamento do fluxo futuro de benefícios. Embora exista uma vasta literatura sobre o aspecto estatístico e sobre o significado econômico dos modelos de imunização, o artigo inova ao prover uma análise detalhada do desempenho comparado dos modelos, sob três perspectivas complementares: o método escolhido, a dimensionalidade e, ainda, o horizonte de investimento. A análise permite concluir que os modelos de imunização tradicional, quando examinados sob a ótica conjunta da redução do risco, das restrições impostas à formatação da carteira e dos custos de transação associados, são mais eficientes, no médio e longo prazo, que os modelos multidimensionais de gestão do risco de taxa de juros, os quais se mostram superiores apenas na gestão restrita ao curto prazo.pt
dc.description.abstractImmunization is defined as the investment in assets in such a way that the fixed income portfolio is immune to a change in interest rates. In the special case of pension funds, immunization seeks the distribution of the cash inflows in accordance with the outflows represented by the fund’s liabilities. The article seeks to compare the performance of different models of immunization based on distinct mathematical programming constraints when applied to interest rate risk management of a predetermined flow of payments within a pension fund. Although there is a great amount of articles that try to tackle interest rate risk and deal with the statistical aspects and economic meaning of many sorts of immunization models, this article represents an attempt to provide an unique comprehensive analysis that takes into account not only the method itself, but also the dimension and the investment horizon of the pension fund industry. It is demonstrated that traditional duration models, when examined under the conjoint perspective of interest rate risk mitigation, imposed constraints to set up the immunized portfolios and associated transaction costs, are more efficient, especially on the medium and long terms. Multidimensional models presented a better performance only on a short term basis.en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.relation.ispartofREAd : revista eletrônica de administração. Porto Alegre. Edição 62, Vol. 15, n. 1 (jan-abr 2009), p. 1-22pt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectCarteira de títulospt_BR
dc.subjectInterest rate risk managementen
dc.subjectDurationen
dc.subjectTaxa de jurospt_BR
dc.subjectImmunizationen
dc.subjectPrevidência complementarpt_BR
dc.subjectFixed income indexen
dc.subjectPension funden
dc.titleDimensão e horizonte de investimento em carteiras imunizadas : uma análise sob a perspectiva das entidades de previdência complementarpt_BR
dc.typeArtigo de periódicopt_BR
dc.identifier.nrb000690899pt_BR
dc.type.originNacionalpt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record