Mostrar el registro sencillo del ítem

dc.contributor.advisorAnjos, José Carlos Gomes dospt_BR
dc.contributor.authorRosa, Elza Vieira dapt_BR
dc.date.accessioned2019-12-11T03:59:28Zpt_BR
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/202488pt_BR
dc.description.abstractA presente pesquisa visa investigar os percursos do negro em Porto Alegre – RS: interrompendo invisibilidades, reinscrevendo experiências negras na cidade no que diz respeito à identidade, cidadania e a memória de um povo. Visa tematizar a presença do negro na capital rio-grandense, sua importância e o legado da população negra de matriz africana. Para isto, parte da apresentação dos territórios negros em Porto Alegre e da constituição geopolítica da cidade, evidenciando sua ocupação por parte do povo negro e o respectivo processo de desterritorialização e branqueamento que se deu ao longo dos séculos. Esse aspecto fez com que migrasse para as periferias da cidade a partir do projeto de desenvolvimento e de suas consequências, impactando drasticamente o modo como vivia cotidianamente suas relações, cultura e ancestralidade. O presente estudo mostra como o movimento negro de Porto Alegre – RS articulado com demais organizações da sociedade civil e esferas administrativas construiu uma importante pauta de reivindicações que desembocou no projeto do Museu de Percurso do Negro de Porto Alegre – RS, fruto da criatividade e inventividade do povo negro gaúcho. Demonstramos, a partir disso, o papel desempenhado pelo povo negro, seus conhecimentos e saberes no processo de construção e na concepção do Museu como um marco que possibilita o desenho de traços indicativos de uma política de representatividade. Neste cenário, o Museu precisa necessariamente ser compreendido como um marco político inovador, que possibilita a retomada e o resgate da memória e o reconhecimento da cultura do povo negro. Por meio de sua potencialidade propicia a construção de agendas e pautas mais amplas na direção da garantia dos direitos dos negros e de sua presença e representatividade no espaço cultural, econômico, político e social na capital do Rio Grande do Sul.pt_BR
dc.description.abstractThis research aims to investigate the pathways of the black in Porto Alegre - RS: interrupting invisibilities, reinscribing black experiences in the city regarding the identity, citizenship and memory of a people. It aims to discuss the presence of black people in the capital of Rio Grande do Sul, its importance and the legacy of the black population of African origin. For this, part of the presentation of the black territories in Porto Alegre and the geopolitical constitution of the city, evidencing their occupation by the black people and the respective process of deterritorialization and bleaching that took place over the centuries. This aspect made it migrate to the outskirts of the city from the development project and its consequences, drastically impacting the way they lived their relationships, culture and ancestry on a daily basis. The present study shows how the black movement of Porto Alegre - RS articulated with other civil society organizations and administrative spheres built an important agenda of claims that led to the project of the Black Path Museum of Porto Alegre - RS, fruit of creativity and inventiveness. from the gaucho black people. From this, we demonstrate the role played by the black people, their knowledge and knowledge in the process of construction and in the conception of the Museum as a landmark that allows the drawing of indicative traits of a politics of representativeness. In this scenario, the Museum must necessarily be understood as an innovative political landmark, which enables the recovery and recovery of memory and the recognition of black people's culture. Through its potentiality it enables the construction of broader agendas and agendas in the direction of guaranteeing the rights of blacks and their presence and representation in the cultural, economic, political and social space in the capital of Rio Grande do Sul.en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectMuseupt_BR
dc.subjectMuseumen
dc.subjectRacismen
dc.subjectRacismopt_BR
dc.subjectBlacken
dc.subjectNegrospt_BR
dc.subjectCultureen
dc.subjectCultura negrapt_BR
dc.subjectRepresentatividadept_BR
dc.subjectRepresentationen
dc.titleO Museu de Percurso do Negro de Porto Alegre – RS : interrompendo invisibilidades, reinscrevendo experiências negras na cidadept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.identifier.nrb001107417pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentInstituto de Filosofia e Ciências Humanaspt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Sociologiapt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2019pt_BR
dc.degree.levelmestradopt_BR


Ficheros en el ítem

Thumbnail
   

Este ítem está licenciado en la Creative Commons License

Mostrar el registro sencillo del ítem